Perfil:
Luís Augusto


Arquivos:

Amigos (0)::



15/11/2014 às 20:02

"MISERÁVEL HOMEM QUE EU SOU"
CONFIRA AS PASSAGENS NA BÍBLIA ONLINE
Postado por Luís Augusto

"Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito".
(Romanos 8:1).

Necessitamos, desesperadamente da graça de Deus para libertar nosso corpo deste processo fatal, que vem aniquilando nossos relacionamentos mais íntimos, minando nossas esperanças mais sadias e corrompendo as experiências mais santas e verdadeiras, certamente viveríamos melhor, teríamos famílias mais saudáveis e uma igreja mais madura e acolhedora.


"Miserável homem que sou." É duro reconhecer isto, mas este é o ponto de partida para a vida e a comunhão. É o princípio onde aprendemos que a vida começa em Deus e a comunhão é construída numa dependência constante e sincera dele. Fazendo isto, olharemos para nós antes de olhar para os outros. Estenderemos nossas mãos antes de exigir que alguém estenda as suas para nós.

Nos doaremos aos outros antes mesmo que se doem a nós. Cresceremos porque evitaremos culpar os outros pelos nossos erros e pecados. Que Deus tenha misericórdia de nós. “Miserável homem que eu sou!” O apóstolo Paulo escreve aos Romanos 7:24 dizendo: “Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte?”

Essas palavras são aplicadas para nós, os cristãos nascidos de novo. Eles as usam como se nós cristãos estivéssemos em uma espécie de escravidão do pecado (está no mesmo contexto, apenas alguns versos anteriores, onde Paulo diz "Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado." Romanos 7:14. Ou seja, somos carnais, vendidos sob o pecado. Voltando em Romanos 7:14). Então, eles dizem: “miseráveis homens que nós somos”, “nós somos pecadores, vendidos sob o pecado”, “quem nos livrará disto?” Embora as pessoas amem o Senhor e queiram o seguir, e apenas para tais pessoas que o texto se refere...

Podem cair em muitos erros, elas não estão vendidas sob o pecado nem são miseráveis homens esperando por um Salvador. O Salvador chegou e Seu nome é Jesus Cristo! Ele abriu a porta da nossa prisão e nos fez livres. Nós não somos mais “miseráveis homens”. Nós éramos miseráveis homens anteriormente quando nós estávamos mortos em ofensas e pecados.

A carta aos Efésios 2:1 o apóstolo Paulo diz: "E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados," Mas agora, nós não estamos mortos mais! Deus nos deu vida juntamente em Cristo, por graça, apenas na base da nossa fé Paulo continua dizendo em Efésios 2:5: "Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)," Agora, nós somos “a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;” é o que diz 1 Pedro 2:9. Essa é a verdade da Palavra de Deus. Mas então, nós estamos certos em perguntar o que é essa lamentável situação que Paulo está descrevendo em Romanos 7?

A quem ele está se referindo? Porque ele está usando está passagem como se estivesse a aplicando para si próprio e por que ele está falando no presente como se fosse algo que está acontecendo agora? Bem, nós não precisamos ir longe para achar a resposta. Tudo que nós precisamos é ler o texto e o contexto das frases acima, Romanos 7 mostra que seu tema principal é a lei e como era impossível para alguém que tinha apenas a natureza pecadora de Adão cumprir esta lei.

Para dizer isso, Paulo está usando a primeira pessoa do singular no presente figurativamente, não literalmente. Em outras palavras, embora, pareça que ele diz o que ele diz para ele mesmo pessoalmente, ele faz isso apenas no sentido figurado, colocando a si mesmo na posição daqueles a quem essas coisas eram diretamente aplicáveis. Agora, como entender isso? Vamos ler por exemplo, os versos 7-9 de Romanos 7 que diz: "Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás. Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, operou em mim toda a concupiscência; porquanto sem a lei estava morto o pecado. E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri". E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri.”

A época “sem lei” foi antes da promulgação da lei, centenas de anos antes do nascimento de Paulo. Então quando Paulo diz “E eu, nalgum tempo, vivia sem lei” ele está usando a primeira pessoa do singular (“Eu”) apenas figurativamente. Ele não estava vivo naquela época, mas, ele figurativamente colocou si mesmo na posição das pessoas que estavam vivas dizendo “Eu vivia”. O mesmo também na próxima parte da passagem que diz: “mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri.”. O mandamento A Lei foi dada a Moisés e Paulo não estava vivo ainda.

É óbvio então que ele estava usando ele mesmo (primeira pessoa do singular) FIGURATIVAMENTE, LITERALMENTE. O mesmo padrão continua por todo Romanos 7. Paulo se usa e muitas vezes no presente para descrever que era uma situação no PASSADO. A razão pela qual ele fez isso é fazer a situação mais vívida e o contraste com a situação presente (a qual é descrita em Romanos 8:1 que diz: "Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus," O tema principal em Romanos 7 é a situação sem Cristo.

Antes de Cristo a lei era presente e, embora essa lei fosse boa, santa e justa era impossível se manter por pessoas que tinham apenas suas naturezas pecaminosas e carnais. Como Paulo diz em Romanos 7:12-14: "E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom. Logo tornou-se-me o bom em morte? De modo nenhum; mas o pecado, para que se mostrasse pecado, operou em mim a morte pelo bem; a fim de que pelo mandamento o pecado se fizesse excessivamente maligno. Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado".

Paulo era carnal quando ele estava escrevendo essas coisas? Ele tinha apenas a natureza pecadora de Adão? Ele estava “vendido sob o pecado”? A resposta é enfaticamente NÃO. Paulo, como qualquer crente nascido de novo, tinha Cristo vivendo nele. Cristo o tinha livre. Ele estava agora nascido de novo e salvo. O que, portanto, ele está se referindo quando descreve a si próprio como “vendido sob o pecado”? Ele se refere à época da lei, o tema principal de Romanos 7. Na época da lei, não havia novo nascimento! Não havia nova natureza! Todas essas coisas ficaram disponíveis para nós depois do sacrifício que o Senhor Jesus fez na cruz cumprindo toda a Lei.

Mas que, na época da Lei, elas não estavam disponíveis. Assim, a única coisa que as pessoas tinham naquela época era a velha natureza pecadora. Embora, a Lei fosse boa, santa e justa ela era uma Lei espiritual enquanto eles eram carnais, vendidos sob o pecado. Portanto, quando Paulo diz: “mas eu sou carnal, vendido sob o pecado” Romanos 7:14. Ele está usando a si mesmo e o tempo no presente figurativamente, colocando a si mesmo no lugar daqueles que viveram na época da Lei, exatamente como ele fez no versículo 7 com todos aqueles que viveram sem a Lei, quando ele diz “vivia sem lei” Romanos 7:9. Quando Paulo estava escrevendo Romanos 7, ele era uma nova criatura como qualquer um de nós, que crê no Senhor Jesus Cristo, o Messias e Filho de Deus.

E é exatamente por isso que na segunda carta aos Coríntios 5:17 Paulo diz claramente: "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo". “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram;” Paulo usa o mesmo modo de falar (primeira pessoa do singular, no tempo presente) em todo o restante de Romanos 7. Romanos 7:15-24 diz: "Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte"? O que o apóstolo Paulo está descrevendo é uma situação miserável. Se você não levar em conta qual é o contexto da passagem (Romanos 7) por exemplo e se você ignorar e desprezar as realidades do novo nascimento você se tornará miserável também. Você também irá chorar “Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?”.

Mas Paulo diz tudo o que diz para descrever a situação antes de Cristo. É uma situação de anseio por um Salvador. Antes de Cristo, todos nós choraríamos “Miseráveis homens que nós somos! quem nos livrará do corpo desta morte?”. Mas a boa nova que significa boa notícia, é que a 2000 mil anos atrás o Salvador veio! Seu nome é Jesus Cristo! Paulo não para na questão: “Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?”, mas ele continua imediatamente com a resposta em Romanos 8:1-4 que diz: "Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte. Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne; Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito".


Se você leu o texto com atenção ele começa logo dizendo: “Portanto agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Olha a palavra condenação aí. Continuando ele diz: "Porque a lei do espírito de vida, em Cristo Jesus, ME LIVROU DA LEI DO PECADO E DA MORTE. Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma a carne,Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne e do pecado, pelo pecado condenou o pecado da carne; Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.”


Houve um tempo em que nós éramos escravos, vendidos sob o pecado. Hoje não mais! Como? Crendo no Senhor Jesus Cristo. Ele nos libertou dessa escravidão. Agora, nós temos uma nova natureza, Cristo está em nós. Agora nós somos LIVRES. Resumindo: aqui está a questão que Paulo fala em Romanos 7:24: “Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?” E aqui está a resposta, apenas 2 versículos depois: “a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, ME LIVROU DA LEI DO PECADO E DA MORTE.” E novamente Paulo diz aos Gálatas 5:1: "Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão".


Nós não somos mais escravos, vendidos sob o pecado. Nós não somos mais “vendidos sob o pecado”. Ao invés disso, Cristo nosso Salvador, veio, deu a si mesmo como resgate e nos fez LIVRES. Portanto, na próxima vez que você ouvir alguém chorando “Miserável homem que eu sou!”, querendo descrever nossa condição presente, você sabe que tal aplicação para nós está ERRADA. Glorifique o Senhor e o dê graças, que, através de Seu Filho, nos livrou desta situação terrível. Louvado seja ele sempre, pois embora nós estivemos uma vez “mortos em ofensas e pecados... Mas Deus que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou.”


 Efésios 2:1-5 "E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência; Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)," Louvado seja Jesus, nosso libertador de sempre.


A carta aos Gálatas: 2:21 diz "Não faço nula a graça de Deus; porque, se a justiça vem mediante a lei, logo Cristo morreu em vão". Tentar guardar a Lei o que é impossível, está sobre a condenação, porque o texto diz: "se a justiça vem mediante a lei, logo Cristo morreu em vão" Não sei se fui bem claro sobre a explicação... mas vou dizer mais uma vez aqui: Quem ainda insiste em tentar guardar a Lei o que é impossível, está sobre condenação, colocando a corda no próprio pescoço, pois a Lei foi feita para condenar a morte, mas a graça e a fé para a salvação de todo aquele que crê no Senhor.
 



Comentários



Comentar post:

Nome/Apelido:


Email:


Comentário:



Não foi encontrado nenhum comentário!